Texto: Olga Liotta
Imagens: arquivo SS/PMO

A Prefeitura de Osasco, por meio da Secretaria de Saúde (SS), tem realizado um trabalho contínuo de combate aos criadouros do mosquito da dengue e outras arboviroses. As ações acontecem diariamente, com visita dos agentes de endemias às residências, equipamentos públicos, comércios, entre outros. Nesse período de fortes chuvas de verão, o serviço é intensificado.

A equipe de trabalho do Núcleo de Controle da Dengue e outras Arboviroses, responsável pelo controle do Aedes aegyptimosquito transmissor da dengue, zika, chikungunya e febre amarela, conta com uma coordenadora técnica, dois supervisores gerais, sete supervisores de campo e 90 agentes de Combate às Endemias/Agentes de Saúde, que saem às ruas vistoriando e eliminando criadouros, orientando os moradores, telando caixas d’aguas, aplicando larvicida e inseticida quando identificam presença das arboviroses mencionadas, entre outras ações efetivas de prevenção e combate.

O Núcleo, vinculado à Secretaria de Saúde, possui um laboratório de entomologia, onde realiza estudos e testes para subsidiar estratégias de controle. Além disso, o setor conta com uma equipe de I.E.C (Informação, Educação e Comunicação) que realiza trabalhos educativos nas escolas públicas e privadas como teatro de fantoches, palestras, além de campanhas preventivas com exposição, entrega de material educativo e orientação à população.

As equipes de combate contam com o apoio da Secretaria de Serviços e Obras, que colabora disponibilizando caminhões para retirar os recipientes que possam acumular água limpa e parada, que os munícipes queiram eliminar.

No mês de dezembro, a Secretaria de Saúde, por meio do Núcleo de Controle da Dengue e outras arboviroses, e do Departamento da Estratégia de  Saúde da Família (ESF), intensificou o controle da dengue, realizando um mutirão  que envolveu 456 agentes de ambos os setores, resultando em 64.239 visitas aos imóveis, eliminação de 29.008  criadouros e 197 caixas d'água teladas.

“Realizamos visitas de forma contínua em todos os imóveis do município, durante todo o ano, mas vale lembrar que é importante os moradores receberem os agentes e seguir suas orientações para manter a casa livre do mosquito transmissor de dengue, zika, chikungunya e febre amarela. O combate do Aedes aegypti é responsabilidade de todos nós”, esclareceu Josefa M. L. da Silva, coordenadora técnica do Núcleo de Controle de Arboviroses de Osasco.

“Nosso principal objetivo é erradicar os criadouros e a proliferação do Aedes Aegypti, e suas doenças”, concluiu.

A população pode fazer a sua parte e contribuir com atitudes simples como guardar garrafas sempre viradas para baixo; encher de areia ou terra os pratinhos de vasos de plantas; manter bem tampados baldes, tonéis, piscinas e caixas d'água, além de guardar pneus em locais protegidos da chuva.

Casos de dengue

Osasco teve apenas 13 casos de pessoas diagnosticadas com dengue em 2018. Em 2017 foram 12 casos. Já em 2016, o número de casos confirmados na cidade foi de 663. Uma redução significativa, resultado do trabalho intenso das ações de controle ao mosquito Aedes aegypti e outras arboviroses.

Serviço

Mais informações ou mesmo para casos de denúncias de locais com possíveis focos do mosquito da dengue, basta ligar na Central 156 da prefeitura (156 ou 3651-7080), via chat através do site da prefeitura (www.osasco.sp.gov.br) ou pelo e-mail

156@osasco.sp.gov.br