Texto: Marco Borba
Imagens: Ítalo Cardoso

 

Por meio do projeto Samba Rock de OZ - de Quebrada em Quebrada, a Prefeitura de Osasco, através da Secretaria de Cultura, tem ajudado a resgatar a história da black music na cidade. A iniciativa completa um ano este mês e comemorou a data com festa, no domingo, 8/7, no Centro de Eventos Pedro Bortolosso, no Km 18. O prefeito Rogério Lins e a primeira-dama, Aline Lins, prestigiaram o evento, que reuniu cerca de mil pessoas ao longo do dia.

Embora a música e o jeito de dançar remetam aos anos  60 e 70, o estilo contagiou muitos jovens que em todas as edições do evento comparecem em peso aos bailes, seja no próprio Centro de Eventos ou nos bairros mais afastados da cidade.

“Estamos promovendo o resgate desse estilo. Osasco já foi berço da black music. Antes, as equipes faziam seus bailes em casa, nas garagens. Com o tempo, essas equipes acabaram e as músicas foram parar nas academias. Agora, o samba rock virou profissão, tem até DJ e festas exclusivas”, disse o secretário adjunto de Cultura, Paulinho  Samba de Rua.

Paralelamente ao baile, também aconteceram aulas de samba rock (iniciante e  intermediário) e de soul music, o chamado “passinho”. Os eventos do Samba Rock de OZ são gratuitos. A entrada é um quilo de alimento não perecível. Os donativos são revertidos para as ações sociais do Fundo Social de Solidariedade.

Rogério Lins parabenizou a equipe da Secretaria de Cultura pela execução do projeto. “É uma ação que merece nosso reconhecimento, porque leva recreação às pessoas. O Samba Rock é uma medida que promove a inclusão social por meio da música e a integração entre as pessoas.”