Texto: Felipe Pizzi

Imagens: Gustavo S. Carvalho

 

Música, interação e criatividade fazem parte do cotidiano escolar dos alunos da CEMEI Senador José Ermírio de Moraes, no Jardim Veloso, que inaugurou no último dia 12/7 o “Parque Sonoro”, que dá vida a materiais reutilizáveis. Tanto a diversidade de materiais quanto o som reproduzido por eles e os diversos estímulos sensoriais do projeto visam o desenvolvimento da memória auditiva dos alunos, por intermédio de atividades e brincadeiras que priorizam a linguagem sonora.

A implementação do projeto ocorreu em três etapas: arrecadação/montagem, experimentação e doação. Na primeira fase, a comunidade escolar, formada por pais e responsáveis, apoiou a causa com a seleção de materiais recicláveis e a preparação dos itens. Nas mãos dos alunos, frascos, potes, colheres de pau, chaves, garrafas pet, galões de plástico e tampinhas viraram instrumentos percussivos semelhantes a tambores, chocalhos e reco-reco.

A professora Gabriela Dias ressaltou a importância do espaço: “É essencial o desenvolvimento de um local como esse aos alunos e toda a comunidade. A partir dessa iniciativa, podemos levar um pouco de música, cultura e entretenimento a todos os estudantes”.

Contudo, a participação dos familiares foi essencial. A interação do grupo escolar e familiar resultou no sucesso do projeto. “Além disso, foi interessante vermos nossos alunos se divertindo com brinquedos produzidos por eles e com material que seria descartado. Observamos a alegria das crianças e familiares na conclusão do projeto . A cada instrumento finalizado, queriam ter a experimentação. Por aqueles instantes, perceberam que os brinquedos eletrônicos podem ser substituídos por outro bem mais criativo”, ressaltou a docente Luciana Souza.

A escola ganhou outro espaço lúdico intitulado “Sala encantada”, ambiente temático contendo diversas pinturas realizadas pelo renomado artista Dingos Del Barco, que ilustrou nas paredes o cenário das histórias infantis, como a narrativa dos “Três Porquinhos”, “Chapeuzinho Vermelho”, “João e o pé de Feijão”, “Pinóquio” e “Peter Pan”, entre outros contos. A sala também propiciou aos estudantes uma gama de livros, baú de fantasias e figurinos que serão utilizados no decorrer do semestre durante as peças teatrais.