Osasco obteve uma boa notícia esta semana. Dados divulgados quarta-feira, 12/12, pelo Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU) apontam que o município ficou na posição 154, com nota 8.14, no ranking da Escala Brasil Transparente (EBT) – Avaliação 360°, que  verifica o grau de cumprimento de dispositivos da Lei de Acesso à Informação (LAI) e de outros normativos sobre transparência nos Estados e no Distrito Federal, entre os municípios com mais de 50 mil habitantes, incluindo as capitais (com base nas estimativas do IBGE em 2017). No total, foram avaliados 691 entes federativos – universo que abrange quase 70% da população brasileira. 

De acordo com o levantamento, feito entre 9 de setembro e 14 de novembro deste ano, o município fica à frente de capitais como São Paulo, que tirou 6.69 (314 no ranking) e Salvador (8.4 e 168 no ranking) e de outras cidades da Grande São Paulo, como Guarulhos (7.76 e posição 200 no ranking) e Mauá (7.75 e 204 no ranking). Todas as unidades avaliadas receberam entre 0 e 10 pontos, o que permite a geração de rankings.

Durante a assinatura da minuta do projeto de lei que institui o plano de carreira dos profissionais da Educação, no mesmo dia da divulgação do ranking, o prefeito de Osasco, Rogério Lins, comemorou a pontuação. “É motivo de orgulho para todos saber que tiramos esta pontuação e que ficamos bem perto dos 150 municípios melhor avaliados” 

A EBT – Avaliação 360° está na terceira edição e, diferentemente das anteriores, traz uma inovação em sua metodologia. A principal diferença é que além da transparência passiva, também foi avaliada a transparência ativa. Ou seja, além da regulamentação da LAI – existência de canal (presencial e eletrônico) para solicitações de informação pelos cidadãos e atendimento desses pedidos – a CGU mapeou como governos estaduais e municipais publicam na internet os dados sobre receitas e despesas, licitações e contratos, estrutura administrativa, obras públicas, lista de servidores, entre outros.